12/26/2010

SESSÃO 44

:::CICLO NOVO CINEMA HOLANDÊS:::

CURTAS METRAGENS 3

. GAANDEWEG

Realização e argumento: Margot Schaap
Duração: 23 minutos



A vontade de Sophie está repartida entre a necessidade de partir para estudar e a vontade de ficar no seio da família.

. RIF

Realização: Eric Steegstra
Produção: John Croezen Cartoon
Duração: 12 minutos



Dois homens-rã mergulham num mundo fabuloso repleto de criaturas translúcidas e de
surpresas multicolores.

. NOTEBOEK

Realização e produção: Evelien Lohbeck
Duração: 12 minutos



Curta-metragem experimental que joga com ilusões e realidade.

. THE PHANTOM OF THE CINEMA

Realização, argumento e animação: Erik van Schaaik
Duração: 11 minutos



Esta curta-metragem de animação proporciona ao público um olhar indiscreto por detrás do ecrã. Subitamente, a fita parte-se deixando-nos ver o que se passa nos bastidores onde tudo corre mal...

. JOLANDA 23

Realização, argumento e montagem: Pim Zwier
Duração: 10 minutos



Curta-metragem que observa o acto de fotografar uma vaca. A acção pretende atingir o ideal de beleza.

--//--

Amanhã, pelas 21h30, no Cine Solmar. Entrada gratuita

11 comentários:

joão disse...

Fraca, esta última sessão! Na verdade, todo o ciclo dedicado ao novo cinema neerlandês foi uma desilusão!
Felizmente, olhando para o novo ano que se avizinha, há a expectativa de mais e melhores filmes neste início de ano, se tudo correr bem. E aproximamo-nos do 1º aniversário do cineclube...

Vitor Marques disse...

Um ciclo onde muito pouco se aproveitou. Com algum esforço, uma longa e duas ou três curtas.
Muito mal vai um país, em termos cinematográficos, quando exporta um pacote destes como divulgação e promoção da sua cultura.

Sam disse...

E parece que tivemos acesso a uma amostra muito reduzida: http://en.wikipedia.org/wiki/Dutch_films_of_the_2000s

joão disse...

Dizes que haveria mais e, sobretudo, melhor?

Sam disse...

Não conheço muitos dos outros títulos, mas quase aposto que sim!

joão disse...

A ser verdade, será, então, uma cinematografia a explorar melhor! É isso que pensas?

Sam disse...

Definitivamente!

Sobretudo porque este ciclo foi formado apenas por títulos produzidos em 2007 e 2008.

Não se poderá chamar Novo Cinema Holandês a filmes com cinco anos desde a sua data de estreia?

joão disse...

Creio que quando se diz "novo cinema holandês" se refere a um movimento mais ou menos inovador e homogénio que corresponderá a um período no tempo mas não são, necessariamente, os filmes mais recentes. Como quando se fala da "nouvelle vague" francesa ou do "novo cinema" português ou brsileiro. Mas há propostas concretas de filmes a ver?

Sam disse...

Sim, é um facto que não estamos perante um movimento no verdadeiro sentido da palavra. O que vimos foi "Cinema Holandês Recente".

Quanto a títulos em concreto, e do que sei (falta-me uma pesquisa aprofundada), existem dois títulos recentes que foram bastante aclamados: Black Book (http://www.imdb.com/title/tt0389557) e Twin Sisters (http://www.imdb.com/title/tt0322674).

Destes, só vi o primeiro. E é realizado por um "veterano" (Paul Verhoeven), portanto fico na dúvida se poderia entrar num ciclo de Novo (ou Recente) Cinema Holandês...

Vitor Marques disse...

O pacote a que tivemos acesso, a que erradamente chamamos de "Novo Cinema Holandês", é um pacote que as embaixadas negociaram com as distribuidores os direitos de exibição para divulgação do cinema holandês.
Neste tipo de iniciativas há sempre a ter em conta os responsáveis e seus critérios para as escolhas bem como a recusa das distribuidoras.
Também já fiz uma pesquisa e para além dos 2 títulos que o Samuel indica pouco mais existe de relevo na cinematografia holandesa.
É pouco.

joão disse...

Será então preferível visitar outras cinematografias nos próximos tempos!


rings